domingo, 5 de setembro de 2010

The Ghost And Mrs. Muir


Obra cinematográfica de Joseph L. Mankiewicz, 1947


Como é que diz Keats que o fantasma recita: “I have been half in love with easeful Death... Was it a vision or a waking dream?”

Por que é que as pessoas se apaixonam por fantasmas? Por que é que os fantasmas se apaixonam por pessoas? Perguntá-lo é perguntar “como pode usar amor de entendimento”. Sempre que vejo, no meu cartaz, Rex Harrison mais azul do que negro sumir-se no fundo do colo de Gene Tierney, pergunto-me qual dos dois foi fantasma e como o Andrea Francorum de Stendhal “inter quos possit esse amor”. Lembram-se do que ele respondia a quem se embaraçava com a obscuridade de discursos destes? É melhor não se lembrarem.

Per João Bénard da Costa

Sem comentários:

Enviar um comentário