sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Os rostos dos Lupinos*

A estrear: Os Upirs irão assistir aos meandros dos lupinos*

domingo, 14 de fevereiro de 2010

A sinergia do Filipe, o escolhido*

"Idologia Portuguesa"

Filipe Pinto, a voz mais tenaz e constante das galas, conquista hoje o seu sonho cantante. As Náiades sinergizam a sua viagem aos estudios Londrinos. Uma oportunidade de evolução/projecção a que o berço português é desprovido.

Bem hajas, conquistador com tradicional estrelinha*

Palavras do trovador "Se eu pudesse pagar de outra forma"

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Aura Mood: Inegualável

Ai como eu te queria toda de violetas
E flébil de cetim...
Teus dedos longos, de marfim,
Que os sombreassem jóias pretas...

E tão febril e delicada
Que não pudesses dar um passo -
Sonhando estrelas, transtornada,
Com estampas de cor no regaço...

Queria-te nua e friorenta,
Aconchegando-te em zibelinas -
Sonolenta,
Ruiva de éteres e morfinas...

Ah! que as tuas nostalgias fossem guisos de prata -
Teus frenesis, lantejoulas;
E os ócios em que estiolas,
Luar que se desbarata...

............................
............................

Teus beijos, queria-os de tule,
Transparecendo carmim -
Os teus espasmos, de seda...

- Água fria e clara numa noite azul,
água, devia ser o teu amor por mim...

Lisboa 1915, fevereiro 16,

in Poemas Completos, edição Fernando Cabral Martins, Assírio & Alvim

A Literacia, o líquor das acções sobre o Meio

Invocando Lhasa

LHASA DE SELA (DE CARA A LA PARED)

Ela, hoje, recorda-me que a ambiguidade foi passado e este desatino, uma forma de Ser!

Con toda a palabra, serás eterna*

A casa dos espíritos

AuraMood: Ontem eu revi palavras intemporais...

" Revendo imagens degustamos e sabemos que os espíritos das personagens encontram-se vertiginosamente nas suas entranhas.

Sentem-se os seus fios íntimos, odorizados a almíscar e violeta, vinculando as personagens ao pulsar vital .De facto, "bruxuleantemente" através de Clara vêmos a sua casa, os seus leitos de crescimento e exaustão, a que a extraordinária Allende lhes dá em forma física in título, A casa dos Espíritos."

per Náiade